Archive for the ‘Sem categoria’ Category

UnoMarketing – Seminário UnoMarketing e 2° Fórum de Empreendedorismo Social

30/09/2010

 

 

O UnoMarketing, está promovendo hoje o 2° Fórum de Empreendedorismo Social que tem por objetivo sintetizar empreendimentos de sucesso nas áreas social e ambiental, comunica-los, inspirando novas idéias e possibilitando que estas ações formem redes e se multipliquem. Para tanto, o objetivo central do evento é aproximação entre os profissionais de comunicação e os profissionais de marketing e Ong’s, para assim, fomentar parcerias em busca de uma atuação comunicativa consciente.

As exposições do Fórum têm o formato de painéis e estão sendo intercaladas por pequenas comunicações de inspiradores, que apresentam e falam sobre a sua participação em cases bem sucedidos de empreendedorismo social. A apresentação é conduzida de forma irreverente por duas Clowns que intervêm com a platéia com o intuito de dissolver a timidez dos participantes e  evocar uma maior participação do público.

O evento está acontecendo na Federação do Comércio de São Paulo e é desdobramento do Seminário UnoMarketing, que aconteceu nos dias 28 e 29 de setembro. O seminário quer incentivar a apresentação de  projetos e soluções para a difusão da comunicação consciente, pautada na defesa de práticas sustentáveis por meio de  campanhas e/ou difusões de notícias dotadas de modelos de gestão éticos, transparentes e responsáveis nos âmbitos socioambientais. 

Participaram do Seminário Unomarketing, trabalhos acadêmicos e trabalhos profissionais de comunicação. Estes estão inseridos no Prêmio Unomarketing de Comunicação consciente com apoio da ABA, ABAP e AMPRO.

O Prêmio busca reconhecer projetos que se destacarem na concepção de novas ideias e soluções para a propagação da comunicação consciente,  a premiação ocorrera em 2011. O concurso visa ampliar a consciência de profissionais de marketing e comunicação, enquanto o papel que podem desempenhar na promoção e estímulo de ações sociais e ambientais.

Anúncios

Você sabe o que é felicidade?

07/09/2010

A felicidade é um ponto de vista!


O 5º Seminário Internacional de Comportamento e Consumo – Felicidade e Consumo terminou na última sexta-feira, dia 2 de setembro, no Copacabana Palace Hotel, no Rio de Janeiro. Foram dois dias intensos, um com palestras e outro com workshop, no qual o tema foi profundamente dissecado. Ganham todos: empresas, participantes e o Brasil, que se firma cada vez mais no cenário acadêmico/empresarial como produtor de conhecimento nas áreas de administração, marketing e comunicação, entre outras.

Francesco Morace, presidente do Future Lab Concept,  abriu o seminário com a palestra “O Consumo como narração: a felicidade e o cotidiano”.  Colocou em foco valores centrais das tendências de consumo contemporâneas, destacando Emoção, Compartilhamento e Sustentabilidade.  Chamou atenção para a importância de se utilizar metodologias articuladas de coleta de dados e análise de tendências de consumo, para um monitoramento contínuo do ambiente da empresa. Na opinião de  Morace, esse é um percurso indispensável para a definição de estratégias eficazes para integrar a empresa ao seu ambiente de negócios.

Em seguida, Francesca Appiani, curadora do Museu Alessi, fez a palestra: “História e Futuro de uma fábrica de design italiano”. Apresentou a importância do design na transformação da empresa de manufatura fundada em 1921 em uma companhia atual, referência mundial de design. Concentrou-se principalmente nos últimos 30 anos da Alessi, colocando em foco a gestão de Alberto Alessi, que liderou a construção de uma empresa “que produz objetos destinados não apenas a satisfazer as necessidades primárias de seus consumidores, mas procuram contemplar também dimensões poética, artística, paradoxal e lúdica”. A ferramenta para isso é são suas pesquisas no campo da Arte aplicada e sua atuação como mediadora entre a criatividade contemporânea internacional e as expectativas e desejos do público.  Isso coloca a Alessi no conceito denominado “Artes Comerciais”, tais como moda, cinema, música e rock, entre outros similares, que ao contrário das Artes Maiores (arquitetura, pintura e escultura) necessitam da aceitação do público para justificar sua existência.

A próxima palestra foi feita por Patricia Dalpra e Marcelo Silva Ramos, do Observatório de Comportamento e Consumo do SENAI/CETIQT e Nicoleta Vaira, do Future Lab Concept, apresentando a metodologia e as análises preliminares e comparativas da pesquisa Hapiness Brasil, que aborda a cultura material da felicidade. A catalogação dos dados é feita num instrumento denominado “Matriz Hapiness Brasil”, efetuado para cada uma das oito cidades onde o trabalho é realizado. Nas linhas estão as variáveis comportamentais, e nas colunas as forças sócio-dinâmicas.  O cruzamento entre as linhas e as colunas indica “drives” de comportamento característicos para cada uma das cidades pesquisadas. Para exemplificar, os resultados da Matriz do Rio de Janeiro, onde cruzando a linha “Paisagens e natureza” com a colunas Subjetividade e personalização , o resultado será Andar na Praia. Cada matriz tem, no cruzamento das variáveis comportamentais com as forças sócio-dinâmicas, 30 “drives” de comportamento típicos da cidade onde a pesquisa é realizada. As conclusões da palestra: A felicidade é um “driver” estratégico., e varia de acordo com as “ocasiões da vida”, conceito mais atual e mais abrangente que o “estilo de vida”,  uma vez que o estilo varia de acordo com as ocasiões em que as pessoas estão inseridas.

RODADA DE DEBATES – CONCLUSÕES

Para fechar a parte da manhã, foi realizado um debate, que teve como mediadora a professora Miriam Goldenberg, para quem a felicidade esta na moda, pois existem três grandes eventos internacionais acontecendo na mesma semana no Rio de Janeiro discutindo o tema. A pesquisadora lançou a primeira pergunta: “porque a felicidade está na moda, e porque o Rio de Janeiro está centralizando essa discussão, e trazendo pessoas do mundo inteiro para discutir o problema”? , concluindo: “se fossemos felizes, porque estaríamos discutindo a felicidade?” e ao mesmo tempo apontando um paradoxo: “a felicidade se tornou um imperativo, as pessoas estão se sentindo infelizes pelo simples fato de não estarem felizes”.

ECONOMIA E FELICIDADE

O professor Eduardo Giannetti, economista e cientista social, fez a palestra sobre o tema Economia e Felicidade. Colocou como premissa inicial a questão da dificuldade em se tratar a felicidade como tema de estudo, uma vez que cada ser humano é um especialista na questão, e é um “tema intratável, perturbadoramente multidisciplinar”. Giannetti inicialmente definiu o conceito de felicidade, dividido entre o estar feliz e o ser feliz. Concentrando seu foco na dimensão ser feliz, abordou diversas pesquisas onde, para compreender a percepção de felicidade, foi realizada a pergunta básica: “considerando a vida que você tem em todo seu conjunto, você se considera feliz, medianamente feliz ou infeliz”?  As descobertas são bastante surpreendentes: (1) descobriu-se que décadas de forte crescimento econômico em países ricos alteraram em  muito pouco o nível de felicidade. No caso de países pobres, o aumento de renda  compra a felicidade, mas somente até certo ponto, a partir do qual essa diferenciação desaparece. Outro dado curioso: 93% das entrevistadas americanas acreditam estar em melhor situação do que suas avós em relação aos seus direitos e oportunidades, mas 54% não se consideram mais felizes que suas avós.  No que diz respeito a ganhadores de prêmios altos (maiores de 500 mil dólares), verificou-se que, passado o pico da euforia, não houve diferença no nível de satisfação subjetiva desses (com o perdão do trocadilho) felizardos. Quando se estuda a relação entre a idade e a felicidade, os resultados das pesquisas mostram que a curva que relaciona essas variáveis tem o formato de “U”. Existe uma percepção de felicidade quando se é mais jovem (e que corresponde em maior proporção ã dimensão de estar feliz, depois as pressões da vida cotidiana se manifestam mais fortemente, na depressão da curva, e finalmente, quando se passa para a idade mais avançada, essas pressões diminuem, e entra em cena com maior força a dimensão de ser feliz. As principais conclusões que os estudos sobre a felicidade mostraram que ao longo do tempo (medido em décadas) a variação positiva entre renda e felicidade tende a desaparecer de maneira global, mas individualmente, para alguns países, essa relação pode ser bastante forte.  Observa-se, entretanto, que a partir do momento em que as necessidades ligadas a bens primários são atendidas, a percepção de felicidade passa a estar mais ligada  à posição relativa de cada um dentro de seu grupo de referência.

FIORUCCI: 40 ANOS DE ARTE, DESIGN E MODA

Elio Fiorucci, presidente da Fiorucci – Itália apresentou o caso da empresa Fiorucci, dando destaque ao projeto Love Therapy, que nasceu após 40 anos de história e de experiência, que revolucionaram não apenas a moda, mas o estilo de vida, mudando as cores, os materiais e as formas, trazendo divertimento, liberdade, novidade e alegria.

MARCAS EMPRESARIAIS NAS DEMANDAS HUMANAS DE FELICIDADE

Finalizando as palestras do 5º Seminário Internacional de Comportamento e Consumo, o psicanalista Manoel Thomaz Carneiro trouxe alguns conceitos da psicanálise para ilustrar a ligação entre a felicidade e as marcas. Falou do trauma do nascimento, a partir do qual o ser humano se depara com um mundo cheio de necessidades e desejos a serem satisfeitos. Segundo Carneiro, felicidade é “recriar um momento da vida onde a falta não faz falta”. Isso pode ser feito pela esperança de que algo ocorrerá, ou pela sublimação, negando-se o prazer pretendido. O psicanalista faz então uma reflexão interessante, utilizando como base o tema do Seminário: em vez de a felicidade ser um ponto de vista, devemos valorizar “a vista  do ponto”, ou seja, devemos buscar aqueles pontos que são mais importantes em nossa vida e focar neles. Essa questão também pode ser levada ao mundo das marcas: aquela que melhor representa o espelho das necessidades humanas não tem crise.

A equipe da Antennaweb/Alemdamoda cobriu o evento a convite da Organização

C&A seleciona graduados em moda para o 57º Programa de Trainees

20/08/2010

A C&A está com inscrições abertas para o seu 57º Programa de Trainees. Trata-se de um dos mais tradicionais programas do mercado e tem como objetivo selecionar novos talentos para atuar nas áreas de Negócios do Varejo e Compras. O prazo se encerra em 09 de setembro. Os interessados devem se inscrever pelo site da C&A: www.cea.com.br.

Podem se inscrever candidatos graduados em moda no período de dezembro de 2007 à dezembro de 2010. Também podem se inscrever graduados nos seguintes cursos: Administração de Empresas, Administração Mercadológica, Comércio Exterior, Arquitetura, Comunicação, Economia, Engenharia, Marketing e Relações Internacionais.

Alguns dos requisitos exigidos dos candidatos são: inglês fluente ou avançado, visão comercial, perfil desafiador e empreendedor, disponibilidade para viagens e mudanças de cidade ou estado, gostar de assumir riscos e habilidade para se relacionar.

A seleção é composta por várias etapas. Durante o processo seletivo, o candidato faz prova de inglês e de raciocínio lógico, passa por testes comportamentais, dinâmicas de grupo e, por fim, é entrevistado por diretores da empresa.

Benefícios

O Programa de Trainees da C&A é um dos mais antigos do gênero no Brasil, tendo sido lançado na década de 70, quando a empresa chegou ao Brasil.

Aos trainees são oferecidos vários benefícios. Além do salário comparável com os principais Programas Trainees do mercado a empresa oferece planos de saúde e odontológico, refeição, estacionamento, cartão de desconto em compras nas lojas C&A, entre outros. A empresa ainda se responsabiliza pelas despesas dos trainees que permanecerão fora dos seus Estados durante o programa, como locomoção e passagens aéreas para os participantes viajarem para suas cidades de origem.

O Programa

O treinamento tem duração de 15 meses e é composto por três módulos: operação de loja; compras; e especialização dentro da área de atuação do Trainee gestão de Negócios do Varejo( Loja) ou Compras (Produto). Depois deste processo, o trainee assume posição gerencial e passará a ser responsável por uma unidade de negócio da C&A assumindo a gerencia de uma Loja ou a gerencia de uma categoria de produtos em Compras.

A contratação dos aprovados no programa será realizada em janeiro de 2011.

Da assessoria de imprensa

16/08/2010

Fórum de Marketing Empresarial

Terminou ontem no Hotel Sofitel Jequitimar, no Guarujá,  o Fórum de Marketing Empresarial, promovido pela Doria Associados.

Participar do evento foi um grande prazer, além de uma grande surpresa: é muito difícil ver o marketing levado a sério, ao menos tão a sério assim, principalmente fora dos limites das escolas. Ultimamente essa ciência vem sendo muito maltratada, confundida apenas com a comunicação que as empresas fazem para venbder coisas que não conseguiriam vender sem ela, ou seja, com propaganda enganosa.

Numa direção totalmente oposta, o Fórum de Marketing Empresarial reuniu, num ambiente ao mesmo tempo profundo e descontraído ,importantes empresários e algumas das principais empresas brasileiras, que apresentaram seus casos e suas visões de como evoluir no mercado utilizando o marketing como ferramenta,.

Nos próximos posts publicaremos os principais pontos discutidos no Fórum, e que serão tema da próxima edição da www.antennaweb.com.br em sua nova seção, que se dedicará a cobrir um evento selecionado em cada edição. Não perca!

André Robic

Walter Rodrigues abre edição de verão Fashion Rio 2011

30/05/2010



Com o tema Continentes, que retrata a união, Walter Rodrigues inaugurou essa edição do Fashion Rio. A moção da união das costureiras de Quipapá, Pernambuco, onde Walter vem realizando um extenso trabalho, foi demonstrada nas roupas da passarela, coloridas, vibrantes e ao mesmo tempo simples e chiques – como abrir uma sombrinha num dia ensolarado do interior de Pernambuco.

Fashion Rio

28/05/2010


Foto Bruno Veiga

Abriu ontem a Edição Verão 2010/2011 do Fashion Rio, com presença maciça da Oi, mostrando que a fórmula moda+operadoras de telefonia móvel continua valendo, basta a operadora saber usar a imagem da moda a seu favor, oferecendo algo valioso em troca para o seu público. No caso, parece que a Oi tem conseguido entender e se aliar ao estilo de vida de grande parte de seu público.

O Fashion Rio conta com uma excelente exposição do fotógrafo Bruno Veiga, Ondas do Tempo, mostrando a arquitetura e os desenhos dos 4 mil metros quadrados de calçada de Copacabana. O foco principal é a interação da calçada com os habitantes, amoldando-se à rotina de vida do carioca, e se amoldando à sua personalidade, num resultado que acaba por mostrar que cada pedaço das pedras que compõesm essas calçadas tem a sua própria história, rica e cheia de detalhes – assim como a d os habitantes da cidade.

André Robic / Fashion Rio

A Moda além da Moda

28/01/2010

Moda além da moda. Moda e além. Moda. Além. O que seria de um tema se ele não tivesse um depois? Algo mais? Ninguém fala de política sem falar de economia. Aí é preciso pensar em história e para entender melhor, geografia.

Aqui é igual. Para falar de moda é preciso pensar em arte, em história, em cultura, em negócios, em marketing, em quase tudo. E nós queremos falar sobre tudo, trocar, dividir e compartilhar.

Comunicar e ser comunicado. Interagir. E aqui há espaço para gestão e criação. Arte e negócios. Todo mundo pode entrar e participar.

Serão vídeos, textos, podcats, fotos. Ali no twitter e aqui no blog. Lá no site. Perto do escritório.

Na nossa moda tudo pode ir além. Todos os caminhos levam para destinos diferentes, mas tudo no final sempre acaba se encontrando.

Encontre o nosso caminho e descubra o que há além da moda.

Equipe IBModa